REGULAMENTO COBRAP

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA
DOS CRIADORES DE PÁSSAROS
NATIVOS

REGULAMENTO OFICIAL 2006 - CANTO DE BICUDO


SUMÁRIO


01. OBJETIVO................................................................................................................. 2
02. CATEGORIAS DE COMPETIÇÃO.......................................................................... 2
03. TROFÉUS ..................................................................................................................3
04. REQUISITOS OBRIGATÓRIOS ...............................................................................4
05. REQUISITOS QUALIFICATIVOS ............................................................................8
06. DEFEITOS E DEFICIÊNCIAS ...................................................................................9
07. CONTAGEM DE REPETIÇÃO ..................................................................................9
08. ATRIBUIÇÃO DE NOTAS E PONTUAÇÃO.......................................................... 10
09. TEMPO DE PERMANÊNCIA DO PÁSSARO NA ESTACA ..................................12
10. FORMAÇÃO DAS MESAS JULGADORAS E ESCALAÇÃO DE JUÍZES............ 12
11. SOBRE AS INCRIÇÕES DOS BICUDOS ...............................................................12
12. HORÁRIO DE INÍCIO DOS TORNEIOS ................................................................13
13. AMBIENTE DO LOCAL DOS TORNEIOS .............................................................14
14. RECLAMAÇÕES ......................................................................................................14
15. CAMPEÕES DA TEMPORADA ...............................................................................15
16. VALIDADE DESTE REGULAMENTO..................................................................... 16
17. CASOS OMISSOS ....................................................................................................16
18. OBSERVAÇÕES GERAIS .........................................................................................16
19. COMPOSIÇÃO DO DEPARTAMENTO DE CANTO DE BICUDO DA COBRAP 18

Início


REGULAMENTO GERAL DE CANTO DE BICUDO

1. OBJETIVO:

O objetivo do regulamento é normatizar e melhor organizar os torneios oficiais de canto de bicudo em todas as Associações, Clubes, Federações e Confederação, a serem realizados em âmbito Nacional, visando o aprimoramento do canto de bicudo.

Início

2. CATEGORIAS DE COMPETIÇÃO:

São 04 (quatro) as categorias de canto de bicudos que as Associações, Clubes e Federações, agregados à COBRAP, devem patrocinar em seus respectivos torneios nacionais brasileiros, a saber:

Categoria A - CANTO CLÁSSICO GOIANO

A 1 - CANTO CLÁSSICO GOIANO sem repetição
A 2 - CANTO CLÁSSICO GOIANO com repetição
A 3 - CANTO CLÁSSICO GOIANO Pardo

Início


Categoria B - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA

B 1 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA sem repetição
B 2 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA com repetição
B 3 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA Pardo


Categoria C - CANTO FLAUTA

C 1 - CANTO FLAUTA sem repetição
C 2 - CANTO FLAUTA com repetição
C 3 - CANTO FLAUTA Pardo

Início


Categoria D - CANTO LIVRE

D 1 - CANTO LIVRE sem repetição
D 2 - CANTO LIVRE com repetição (peito de aço)
D 3 - CANTO LIVRE Pardo

Início

Observação: Quando constatado que o bicudo foi inscrito para categoria que não a sua, o juiz deverá interromper a apresentação do pássaro, orientando e encaminhando o expositor para a categoria adequada, o qual se apresentará em último lugar, nesta categoria.

Início

3. TROFÉUS:

São quatro as categorias de Canto de Bicudos que as Associações, Clubes e Federações, agregados à COBRAP, devem patrocinar em seus respectivos torneios com distribuição de troféus a saber:

Categoria A - CANTO CLÁSSICO GOIANO

A 1 - CANTO CLÁSSICO GOIANO sem repetição......................03
A 2 - CANTO CLÁSSICO GOIANO com repetição......................03
A 3 - CANTO CLÁSSICO GOIANO Pardo..................................03

Início


Categoria B - CANTO CLÁSSICO MOGIANA

B 1 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA sem repetição.........03
B 2 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA com repetição.........03
B 3 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA Pardo.....................03

Início


Categoria C - CANTO FLAUTA

C 1 - CANTO FLAUTA sem repetição..........................................03
C 2 - CANTO FLAUTA com repetição..........................................03
C 3 - CANTO FLAUTA Pardo......................................................03

Início


Categoria D - CANTO LIVRE

D 1 - CANTO LIVRE sem repetição..............................................03
D 2 - CANTO LIVRE com repetição (peito de aço).......................03
D 3 - CANTO LIVRE Pardo..........................................................03

Início


Total de troféus...............................................................................36

4. REQUISITOS OBRIGATÓRIOS:

Para ser enquadrado na sua referida categoria, o Bicudo deverá possuir obrigatoriamente, os requisitos conforme abaixo especificados:

Início

4.1 Categoria A - CANTO CLÁSSICO GOIANO


A 1 - CANTO CLÁSSICO GOIANO sem repetição
A 2 - CANTO CLÁSSICO GOIANO com repetição


O Bicudo para ser enquadrado nesta categoria, deverá cantar com o padrão, conforme descrito abaixo:

Início

CANTO DE ENTRADA - CLÁSSICO GOIANO – 22 NOTAS
Blocos Padrão Notas Quantidade
01 Notas de entrada Suim Suim 2
02 Gargalhada de entrada Kem Kem 2
03 Ligação de canto Ti Ka Ti 3
04 Preparação da alteada Gãm Que 2
05 Alteada de canto Tim Tim 2
06 Complemento da alteada Tó Qui Tó 3
07 Preparação da batida Tiá Tió 2
08 Batida de canto Tuí Tiuá Tal 3
09 Fechamento de canto Ti Tu Ti 3

Início


MÓDULO DE REPETIÇÃO - CLÁSSICO GOIANO – 21 NOTAS
Blocos Padrão Notas Quantidade
01 Gargalhada de divisão Quem Quem Quem 3
02 Ligação de canto Ti Ka Ti 3
03 Preparação da alteada Gãm Que 2
04 Alteada de canto Tim Tim 2
05 Complemento da alteada Tó Qui Tó 3
06 Preparação da batida Tiá Tió 2
07 Batida de canto Tuí Tiuá Tal 3
08 Fechamento de canto Ti Tu Ti 3

Início


Observações:

a) O Bicudo que no Canto de Entrada, não emitir a Gargalhada de Entrada, deverá na Ligação de Canto, bloco 03, emitir as notas ( Tché Qui ) e não as notas ( Ti Ka Ti ).

b) A Gargalhada de Entrada, com duas ou mais notas ( Kem Kem ), assim como a nota (Tal ), na Batida de Canto, ( Tuí Tiuá Tal ), são notas opcionais, não sendo requisitos obrigatórios para avaliação.

c) Após o Fechamento de canto no (Ti Tu Ti ), o bicudo inicia o Módulo de Repetição no (Quem Quem Quem ), ou seja, na Gargalhada de Divisão, que deverá ser de duas ou mais notas.

Início


A 3 - CANTO CLÁSSICO GOIANO Pardo


Nesta categoria o bicudo para ser considerado pardo, deverá ter mais de 50% (cinqüenta por cento) de cor parda.

Nesta estaca competirão os pardos da categoria CANTO CLÁSSICO GOIANO PARDOS, classificando e sendo contemplados com troféus os três melhores da competição, sendo necessário emitir no mínimo 50% (cinqüenta por cento) das notas do canto, submetidos, para efeito de julgamento, aos critérios constantes no item 4.1

Início

4.2 Categoria B - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA


B 1 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA sem repetição
B 2 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA com repetição


O Bicudo para ser enquadrado nesta categoria, deverá cantar com o padrão, conforme descrito abaixo:

Início

CANTO DE ENTRADA - CLÁSSICO ALTA MOGIANA – 34 NOTAS
Blocos Padrão Notas Quantidade
01 Notas de entrada Suim Suim 2
02 Gargalhada de entrada Kem Kem 2
03 Ligação de canto Ti Qué Ti 3
04 Preparação Gam Tuí 2
05 Variação Tué Tia Tió 3
06 Batida Ti Té 2
07 Variação Ti Ti 2
08 Ligação Gam Ti Qué Ti 4
09 Variação Gam Tuí Tué Til 4
10 Preparação Ti Tu Ti 3
11 Batida Gam Ti Te Ti 4
12 Div. de canto ou fechamento Quem Quem Quem 3

Início


MÓDULO DE REPETIÇÃO - CLÁSSICO ALTA MOGIANA – 30 NOTAS
Blocos Padrão Notas Quantidade
01 Ligação de canto Ti Qué Ti 3
02 Preparação Gam Tuí 2
03 Variação Tué Tia Tió 3
04 Batida Ti Té 2
05 Variação Ti Ti 2
06 Ligação Gam Ti Qué Ti 4
07 Variação Gam Tuí Tué Til 4
08 Preparação Ti Tu Ti 3
09 Batida Gam Ti Te Ti 4
10 Div. de canto ou fechamento Quem Quem Quem 3

Início


Observação: Após a divisão do canto ou fechamento com duas ou mais notas ( Quem Quem Quem ), o Bicudo inicia o Módulo de Repetição no ( Ti Qué Ti ), ou seja, na Ligação de Canto.

Início


B 3 - CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA Pardo


Nesta categoria o bicudo para ser considerado pardo, deverá ter mais de 50% (cinqüenta por cento) de cor parda.

Nesta estaca competirão os pardos da categoria CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA, classificando e sendo contemplados com troféus os três melhores da competição, sendo necessário emitir no mínimo 50% (cinqüenta por cento) das notas do canto, submetidos, para efeito de julgamento, aos critérios constantes no item 4.2.

Início

4.3 Categoria C - CANTO FLAUTA


C 1 - CANTO FLAUTA sem repetição
C 2 - CANTO FLAUTA com repetição

Início


O CANTO FLAUTA é constituído de peculiaridades próprias em termos de notas, melodia, voz ressonada, ou seja, a capacidade de aumentar a duração e a intensidade das notas, flauteando-as, sendo esta característica a marca da grande complexidade do CANTO FLAUTA , devendo apresentar a seguinte seqüência no seu canto:

Entrada de Canto, Ligação de Canto, Complemento e Arremate de Canto, devendo obrigatoriamente marcar a sua virada de canto caracterizando nitidamente a sua divisão, sendo desejável conter em seu canto a quantidade superior a doze notas, de preferência não repetitivas.

Início

C 3 - CANTO FLAUTA Pardo


Nesta categoria o bicudo para ser considerado pardo, deverá ter mais de 50% (cinqüenta por cento) de cor parda.

Nesta estaca competirão os pardos da categoria CANTO FLAUTA PARDO, classificando e sendo contemplados com troféus os três melhores da competição, submetidos, para efeito de julgamento, aos critérios constantes no item 4.3

Início


4.4 Categoria D - CANTO LIVRE


D 1 - CANTO LIVRE sem repetição
D 2 - CANTO LIVRE com repetição (peito de aço)

Início


a) O Bicudo CANTO LIVRE deverá emitir notas de Bicudo na sua totalidade. Esta categoria tem a finalidade de congregar os iniciantes na criação de Bicudos, bem como, proprietários de pássaros com pequenas deficiências. Será considerado vencedor, nesta categoria, o Bicudo que, através do MCL (Medidor de Canto Livre), somar maior tempo cantado, com cantadas de até 15 segundos. Não serão descontados pontos por deficiência de notas e ou defeitos nesta Categoria;

Início

b) O Bicudo CANTO LIVRE com repetição (PEITO DE AÇO), além das qualificativas enquadradas no item 4.4, necessitará, através do MCL (Medidor de Canto Livre), somar o maior tempo cantado, com cantadas acima de 15 segundos. Não serão descontados pontos por deficiência de notas e ou defeitos nesta Categoria.

c) Observamos que, quando por qualquer motivo for impossibilitado o uso do MCL (Medidor de Canto Livre), será aplicado o uso de cronômetro convencional.

Início

D 3 - CANTO LIVRE Pardo


Nesta categoria o bicudo para ser considerado pardo, deverá ter mais de 50% (cinqüenta por cento) de cor parda.


O Bicudo CANTO LIVRE P A R D O, além das qualificativas enquadradas no item 4.4 necessitará, através do MCL (Medidor de Canto Livre) somar o maior tempo cantado. Serão contemplados com troféus os três melhores classificados. Não serão descontados pontos por deficiência de notas e ou defeitos nesta Categoria.

Início

5. REQUISITOS QUALIFICATIVOS:


Nas categorias A (Canto Clássico Goiano), B (Canto Clássico Alta Mogiana), C (Canto Flauta), assim como em suas modalidades (A1, A2, A3), (B1, B2, B3) e (C1, C2, C3), deverão ser considerados como requisitos qualificativos para efeitos de avaliação e atribuição de notas, os seguintes itens:

Início


a) Coesão e harmonia no canto;
b) Apresentação (alegria e disposição);
c) Entrada de canto;
d) Divisão nítida de canto;
e) Fechamento de canto;
f) Voz, melodia e maviosidade;
g) Andamento de canto (moderado);
h) Organização e colocação de notas;
i) Voz ressonada “gutural” ( flauta );

Início


6. DEFEITOS E DEFICIÊNCIAS:

Serão considerados defeitos e deficiências de canto nas categorias A (Canto Clássico Goiano), B (Canto Clássico Alta Mogiana) e C (Canto Flauta), os seguintes itens: devendo ser observado o número de vezes, a intensidade e a posição em que eles ocorrerem:

a) Voz deficiente, muito fina ou muito grossa, rouca, metálica ou com chiado;
b) Deficiência de andamento (velocidade do canto);
c) Canto estalado (notas secas e não melódicas);
d) Mistura de cantos (notas de outros pássaros);
e) Perdidas (distorção das notas);
f) Corte de canto (Interrupção de canto);
g) Remontar notas (emitir a mesma nota várias vezes);
h) Defeito de entrada de canto (muito suí...suín...);
i) Defeito de fechamento (oi...voi...,voiu..,boi...).
j) Emitir as notas como; oi, voí, voiu, boi, tuíu, tchau-tchau e demais notas desonantes;

Início


Observação.: Para os defeitos, será descontado 0,5 (meio) ponto toda vez que ocorrerem.


7. CONTAGEM DE REPETIÇÃO:

A contagem de repetição somente é utilizada nas categorias A (Canto Clássico Goiano), B (Canto Clássico Alta Mogiana) e C (Canto Flauta).

Início

7.1 BICUDOS NÃO REPETIDORES:

Será classificado como não repetidor para qualquer das categorias A, B e C, o bicudo que durante a sua permanência na prova não emitir 2 (duas) ou mais cantadas com 4 (quatro) cantos (repetições), ou uma cantada com 6 (seis) cantos (repetições). A sua permanência na prova será de 5 (cinco) minutos.

Início


7.2 BICUDOS REPETIDORES:

Será classificado como repetidor para qualquer das categorias A, B e C, o bicudo que durante sua permanência na prova emitir pelo menos 2 (duas) cantadas com 4 (quatro) cantos (repetições), ou uma cantada com 6 (seis) cantos (repetições). A sua permanência na prova será de 5 (cinco) minutos.

Início


7.3 . CRITÉRIOS PARA CONTAGEM DE REPETIÇÕES:

a) A somatória das repetições será composta por parcelas iguais ou superiores a 4 (quatro) cantos.

b) Nas categorias A (Canto Clássico Goiano) e C (Canto Flauta), as repetições deverão ser contadas nas notas de fechamento de canto, antes das notas de divisão de canto. Tanto em situações específicas, como também para alguns casos de flautas, contar os cantos na nota que melhor identificar o fechamento de canto, isto é, sempre uma nota antes da divisão de canto.

Início

c) Na categoria B (Canto Clássico Alta Mogiana), as repetições deverão ser contadas nas notas de divisão de canto ou fechamento, com duas ou mais notas no (Quem Quem Quem), iniciando o módulo de repetição no (Ti Qué Ti), ou seja, na ligação de canto.

Início


8. ATRIBUIÇÃO DE NOTAS E PONTUAÇÃO:

Nas categorias A (Canto Clássico Goiano), B (Canto Clássico Alta Mogiana), assim como em suas modalidades (A1, A2, A3) e (B1, B2, B3), o bicudo em julgamento receberá do Juiz, para efeito de atribuição de sua nota positiva, avaliação, bem como as análises sobre entrada de canto, divisão de canto, fechamento de canto, coesão, harmonia e apresentação (alegria e disposição), baseando-se, também nos itens constantes na “Ficha de Julgamento”, conforme abaixo:

a) Nota atribuída pelo juiz ; (de 0 a 10) 4 pontos
b) Voz, melodia e maviosidade; (de 0 a 10) 2 pontos
c) Andamento de canto (moderado); (de 0 a 10) 2 pontos
d) Organização e colocação das notas (padrão); (de 0 a 10) 2 pontos

Início


Total máximo.........................................................................................10 PONTOS

Na categoria C (Canto Flauta), assim como em suas modalidades (C1, C2 e C3) o bicudo em julgamento receberá do Juiz, para efeito de atribuição de sua nota positiva, avaliação quanto à imprescindível voz de flauta, bem como as análises sobre entrada de canto, divisão de canto (na nota que melhor caracterizar), fechamento de canto, coesão, harmonia e apresentação (alegria e disposição), baseando-se, também nos itens constantes na “Ficha de Julgamento”, conforme abaixo:

Início

a) Nota atribuída pelo Juiz; (de 0 a 10) 4 pontos
b) Voz de flauta ressonada, melodia e maviosidade; (de 0 a 10) 2 pontos
c) Andamento de canto (moderado); (de 0 a 10) 2 pontos
d) Número de notas (acima de 12); (de 0 a 10) 2 pontos


Total máximo.........................................................................................10 PONTOS

Início

8.1 NOTA DE DESEMPENHO:

O Juiz e/ou Mesário, deverá anotar numericamente todos os cantos emitidos, totalizar a quantidade de cantos, dividir esse total por 25 (índice aplicado) e, em seguida, adicionar o resultado à nota de pontuação. Tomando como exemplo: em um total de 32 (trinta e dois) cantos, dará um montante de (32 ÷ 25 = 1,28), isto é (trinta e dois, dividido por vinte e cinco), que é igual a 1, 28 (um e vinte oito) a ser acrescentado à nota positiva apurada pelo Juiz.

Início

8.2 APURAÇÃO DA NOTA FINAL:


Vejamos um exemplo para melhor entendimento:


Se o bicudo receber um total de 6.7 de Nota de Pontuação, 2.0 de Defeitos e emitir 32 cantos:

a) Nota de Pontuação;......................................................( + ) 6,70
b) Nota Negativa (Defeitos);.............................................( - ) 2,00
c) Nota de Desempenho; 32 ÷ 25....................................( + ) 1,28
Nota final...................................................................................5,98

Início


9. TEMPO DE PERMANÊNCIA DO PÁSSARO NA ESTACA:

O tempo de permanência de cada pássaro na estaca será de 5 (cinco) minutos, sendo que quando houver mais de 25 pássaros inscritos em uma determinada categoria, o tempo de permanência poderá ser inferior a 5 (cinco) minutos, ficando a critério do juiz titular estabelecer o tempo.

Início


10. FORMAÇÃO DAS MESAS JULGADORAS E ESCALAÇÃO DE JUÍZES:

a) O quadro de Juízes da COBRAP será formado por Juízes indicados pelo Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP. As Associações e Clubes filiados a COBRAP serão avisados previamente quanto à escalação dos Srs. Juízes;

b) A COBRAP, através do seu Departamento de Canto de Bicudo, emitirá “CREDENCIAL” aos Juízes, bem como outorgará “DIPLOMAS” aos Juízes que atuarem durante a temporada; podendo também suspender temporariamente e até definitivamente do seu quadro, o Juiz que não corresponder tecnicamente e os que não mantiverem freqüência nos torneios e que não colaborarem quando escalados;

Início

c) As mesas, para todas as categorias, serão compostas por um Juiz titular, um Juiz auxiliar e um mesário; salvo quando por outros motivos, não for possível;

d) Caberá aos Juízes auxiliares contar as repetições em todas as modalidades, bem como o número de deficiências e defeitos, juntamente com o juiz titular;

e) Caso o Juiz escalado pelo Departamento de canto de Bicudo da COBRAP não compareça ao torneio, ficará a critério do Departamento de Canto de Bicudo e/ou Presidente da Associação ou Clube promotor do evento, a indicação de um juiz substituto.

Início


11. SOBRE AS INSCRIÇÕES DOS BICUDOS:

a) Terão direito à inscrição nos torneios, os expositores associados às entidades ornitofílicas de todo o País e registrados como criadores amadores e/ou comerciais de Pássaros Nativos no Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), devendo apresentar no ato da inscrição, a carteira social e o recibo de quitação das contribuições pertinentes à Associação ou Clube em que sejam filiados.

Início

b) O Clube ou Associação promotor do evento poderá proceder às inscrições dos pássaros que participarão do torneio até 24 horas antes do início do mesmo, desde que seja em formulário próprio (Ficha de Inscrição), fornecida pelo Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP.

c) É proibida a inscrição do mesmo pássaro duas ou mais vezes no mesmo torneio.

d) Os bicudos considerados mutações poderão participar dos torneios de canto;

e) Nenhum pássaro híbrido poderá ser inscrito no torneio;

f) A COBRAP fixará, anualmente, o valor da taxa de inscrição, a qual será destinada, de acordo com decisões oriundas de assembléias, aos cofres desta e à entidade promotora do torneio.

Início

11.1 FICHA DE INSCRIÇÃO:

Na ficha de inscrição fornecida pelo Departamento de Canto de Bicudo, que deverá ser preenchida antes de iniciar torneio, pelo proprietário ou expositor, deverão constar obrigatoriamente, os seguintes dados;

a) Nome do pássaro;
b) Dados do anel (completo);
c) Nome completo do proprietário;
d) Número do CTF (cadastro técnico federal-Ibama);
e) Nome da Associação ou Clube a que pertence o proprietário;
f) Nome da Cidade e UF;
g) Nome do criador do pássaro;

Início


12. HORÁRIO DE INÍCIO DOS TORNEIOS:

a) Todos os Clubes ou Associações patrocinadores dos torneios, deverão dar início aos trabalhos, às 8:00 h (oito horas) com uma tolerância de 30 (trinta) minutos.

b) Os bicudos concorrentes deverão ser chamados pela ordem seqüencial de inscrição (Ficha de inscrição), de acordo com a sua categoria de canto.

c) O bicudo que deixar de se apresentar na ordem seqüencial de número de inscrição, deverá ser chamado por último, ficando a critério do juiz titular.

Início

13. AMBIENTE DO LOCAL DO TORNEIO:


a) Os torneios deverão ser realizados em recinto aberto, preferencialmente ao ar livre e à sombra, exceto em condições adversas, quando o local poderá ser mudado para recinto protegido;

b) As estacas das categorias A, B, C e D, deverão estar em uma distância mínima, umas das outras, o suficiente para que os pássaros não se ouçam, de modo que não haja interferência de cantos entre uma estaca e outra, devendo as mesmas serem simples, sem enfeites ou cores berrantes e estar firmes e bem assentadas ao solo, não sendo permitida a colocação de ganchos em galhos de árvores.

Início

c) Não será permitido que participantes ou visitantes transitem ou coloquem gaiolas, encapadas ou não, à vista ou nas proximidades da estaca de canto, de modo a não interferir no comportamento do pássaro em julgamento, sendo penalizado o proprietário da gaiola, com a exclusão da apresentação de seus pássaros no torneio em questão.

d) A estaca e a mesa julgadora deverão ficar protegidas por cordões de isolamento, de tal forma que o espectador mais próximo fique a uma distância mínima de 5 (cinco) metros da estaca e a 3 (três) metros da mesa julgadora.


Obs.: Compete aos organizadores e ao Departamento de Canto de Bicudo colaborar tanto na fiscalização quanto na instrução e orientação aos expositores.

Início

14. RECLAMAÇÕES:

a) Qualquer reclamação deverá ser feita por escrito, diretamente ao Coordenador do DCBC (Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP).


b) No caso de qualquer desacato à autoridade dos Juízes, o Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP fará um relatório expondo os problemas surgidos, que depois de assegurada a ampla defesa dos envolvidos, encaminhará com parecer conclusivo a COMISÃO DE ÉTICA DA COBRAP, que tomará as providências cabíveis.

Início


15. CAMPEÕES DA TEMPORADA:

a) A COBRAP, através do seu Departamento de Canto de Bicudo classificará por categoria os pássaros campeões da temporada. Cada Associação ou Clube patrocinador enviará logo após o término do torneio, os mapas de notas para o Departamento de Canto de Bicudo. A classificação se fará pela somatória dos pontos obtidos em cada torneio, pelo seguinte critério:

1º lugar - 10 pontos
2º lugar - 08 pontos
3º lugar - 06 pontos
4º lugar - 04 pontos
5º lugar - 02 pontos

Início

b) Só serão homologados os títulos de campeões da temporada, os pássaros que participarem em 50% mais um, do total dos torneios.

c) A COBRAP concederá diplomas aos proprietários de pássaros, conferindo-lhes o título de campeão da temporada;

Início

15.1 DESEMPATE:

Caso ocorra empate na apuração dos campeões da temporada, no mesmo campeonato, o Departamento de Canto de Bicudo adotará os seguintes critérios, respeitando suas categorias:

a) O pássaro vencedor será aquele que obtiver o maior número de primeiros lugares;

b) Persistindo o empate, o desempate será em favor daquele que obtiver o maior número de segundos lugares;

c) Ainda persistindo o empate, o pássaro vencedor será aquele com o maior número de inscrições nos torneios da temporada, ou seja, aquele que tiver o maior número de participações;

Início


Observação.: Este critério servirá para todos os lugares de classificação (1º, 2º, 3º.) em suas respectivas categorias.


16. VALIDADE DESTE REGULAMENTO:

O presente regulamento deverá ser cumprido integralmente, podendo a critério do Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP, sofrer alterações, que deverão ser decididas sempre em reunião designada pelo Coordenador do Departamento, com a participação de seus Diretores de Canto.

Início

17. CASOS OMISSOS:

a) Os casos omissos, surgidos durante a realização dos torneios, serão analisados e solucionados pelo Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP, juntamente com o Diretor de Canto de Bicudo e Presidente da Associação ou Clube promotor do evento.

b) No caso de impasse que por ventura não forem resolvidos no momento do evento, serão encaminhados à Diretoria Administrativa da COBRAP.

Início

18. OBSERVAÇÕES GERAIS:

a) As Associações e Clubes filiados à COBRAP serão avisados previamente quanto à escalação dos Srs. Juízes que atuarão nos torneiros, podendo os Clubes e Associações indicarem ao DCBC (Departamento de Canto de Bicudo da Cobrap) pessoas com aptidão e interesse em participar da mesa julgadora, visando enriquecer seus conhecimentos e aprendizado.


b) As Associações e Clubes promotores do evento devem indicar com antecedência ao Departamento de Canto de Bicudo da Cobrap, os mesários que atuarão no torneio. Entre os indicados, serão escolhidos 4 (quatro) para fazerem parte da mesa, sendo um para cada categoria.


c) As Sociedades organizadoras devem providenciar pastas contendo material de apoio para o torneio, incluindo cronômetro, calculadora, canetas e papel para rascunho.

Início


d) As Associações e Clubes patrocinadores dos torneios deverão providenciar estacas de canto para todas as categorias, além de mesas, cadeiras, lanches e demais itens que sejam necessários.


e) Todo o proprietário será responsável pela segurança e proteção de seu respectivo pássaro. A COBRAP, a Federação e o Clube promotor do evento não serão responsabilizados em casos de eventuais ocorrências de acidentes, furtos ou outros imprevistos que possam sobrevir nos locais dos torneios.

Início


f) Os Clubes e Associações devem, dentro de um prazo de 05 (cinco) dias, a contar da data do torneio, enviar à respectiva Federação, cópias dos “Mapas de Classificação” contendo o resultado do torneio por categoria e ao Departamento de Canto de Bicudo da Cobrap todas as “Fichas de Julgamento” e a relação dos 05 (cinco) pássaros classificados em suas respectivas categorias para que seja divulgado o resultado o mais breve possível no site: www.cobrap.org.br


g) O Departamento de Canto de Bicudo da COBRAP enviará com antecedência aos Clubes e Associações patrocinadores dos torneios, o material de apoio necessário para a realização dos trabalhos dos senhores Juízes, como: Ficha de Inscrição, Ficha de Julgamento e Mapa de Classificação.

Início

19. COMPOSIÇÃO DO DEPARTAMENTO DE CANTO DE BICUDO DA COBRAP:

COORDENADOR DO DEPARTAMENTO DE CANTO DE BICUDO
JOSÉ CARLOS GRADELA


DIRETOR DE CANTO CLÁSSICO GOIANO
EDUARDO TRIGO ALVARES DORNELLES


DIRETOR DE CANTO CLÁSSICO ALTA MOGIANA
VAGNER GUTIERREZ


DIRETOR DE CANTO FLAUTA
CARLOS AUGUSTO VIANA


DIRETOR DE CANTO LIVRE
RODNEI NUNES DINARDI


PRESIDENTE DA COBRAP
ALOÍSIO PACINI TOSTES

Início